18 de out de 2017

Amor e confiança

E foi que depois de tempos de tempestade combinaram, ela e o vento, que não haveria sequer brisa em seu jardim. Selaram pacto. Houve orvalho de lágrimas. Mas já na estação seguinte ele adentrou novamente sorrateiro pela fenda da janela. Revirou os vasos, quebrou-os todos, desperdiçou a terra (a mesma que recebeu o orvalho de outrora). E saiu, silencioso como entrou. "- Veja, as flores ainda estão intactas!". Como se fosse possível, ainda, manter a flor.

Amor e confiança

E foi que depois de tempos de tempestade combinaram, ela e o vento, que não haveria sequer brisa em seu jardim. Selaram pacto. Houve orvalho...